Português Italian English Spanish

Turbulência política não cessa nem com 'fortuna da celulose', destaca imprensa da capital

Turbulência política não cessa nem com 'fortuna da celulose', destaca imprensa da capital

Data de Publicação: 9 de maio de 2022 10:17:00
O atual prefeito já foi denunciado três vezes pela Câmara

 

 

O site campo-grandense, O Jacaré, referência do bom jornalismo político em Mato Grosso do Sul, destacou nesta segunda-feira, dia 9 de maio, a histórica turbulência política vivida pelos políticos e munícipes de Ribas do Rio Pardo (MS). 

Segundo o portal (ojacare.com.br), nem mesmo os bilhões investidos pela Suzano na obra de construção da maior fábrica de celulose do mundo foi capaz de cessar as denúncias de corrupção contra os gestores públicos locais. 

Quem estampa a capa da publicação é o atual prefeito, João Alfredo Danieze (PSOL). O advogado que arrotava 'moralismo barato', deixou de ser pedra para ser vidraça, acumula inúmeras suspeitas de desvios de recursos públicos e, junto com sua gestão capenga, já esteve na mira da Câmara por três vezes para ter seu mandato cassado em período inferior a um ano.

A publicação do site O Jacaré, por lapso, não incluiu na matéria a CPI da 'Empresa Fantasma', criada em 17 agosto de 2021 pela Câmara Municipal. A denúncia iria apurar suposto contrato fraudulento. Clique no link e relembre: Câmara de Ribas cria 'CPI da Empresa Fantasma' e vai investigar contrato de quase R$ 100 mil

O ex-prefeito José Domingues Ramos, o Zé Cabelo, também aparece na matéria jornalística como exemplo de prefeito denunciado e cassado. 

Veja, na íntegra, a publicação da impensa da capital:

 

Prefeito João Alfredo Danieze é alvo de três processos de cassação em período inferior a um ano. (Foto: Arquivo)

 

Nova fronteira da fortuna da celulose, Ribas só não muda a turbulência política

Por Edivaldo Bitencourt / O Jacaré

Enquanto os bilhões da celulose mudam da paisagem à economia, Ribas do Rio Pardo só vê uma coisa permanecer igual “ano sim e ano também”: a turbulência política. No mesmo ritmo em que a cidade ganha os primeiros prédios, vive o boom de empregos, espera o orçamento municipal triplicar e testemunha o total de empresas ser multiplicado por três, a ameaça de cassação paira sobre a prefeitura de Ribas do Rio Pardo.

Para se ter ideia dessa constância, em abril do ano passado, logo na estreia da gestão, o prefeito João Alfredo Danieze (PSOL) estava na mira da Câmara Municipal para perder o mandato. Em abril deste ano, o cenário se repetiu, dessa vez com nova denúncia.

Em abril de 2021, a Comissão Processante foi aberta pelos vereadores para apurar denúncia de que a ex-secretária de Saúde, Carolina Bergo Domingues, assinou a contratação da própria clínica médica, sem licitação, para prestar quatro meses de serviço à prefeitura por R$ 567 mil. Do total, mais de R$ 100 mil já teriam sido efetivamente pagos. O prefeito virou alvo por improbidade.

A questão foi parar na Justiça, onde Danieze acumula vitórias. A Vara Única de Ribas do Rio Pardo suspendeu os trabalhos da comissão processante. O juiz Idail de Toni Filho acolheu a justificativa da defesa. O prefeito alegou que a denúncia foi recebida pelos vereadores sem a devida publicidade, como a falta de intimação de Danieze e de seu advogado.

A Câmara ainda recorreu ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), mas o pedido para retomar os trabalhos foi negado.

Neste ano, mais uma comissão foi instaurada. De acordo com denúncia do vereador Álvaro Andrade dos Santos (PSD), conhecido como Nego da Borracharia, o prefeito cometeu crime de improbidade com enriquecimento ilícito de terceiros e infração político-administrativa por negligenciar a gestão do dinheiro público.

O vereador apontou que o prefeito beneficiou indevidamente a empresa Tec Faz Soluções em Projetos Hidráulicos Rurais e Transporte Ltda em locações de máquinas e caminhões para a prefeitura. Mais uma vez, a ação dos vereadores naufragou na Justiça. Em 13 de abril deste ano, o mesmo magistrado suspendeu o processo de cassação contra Danieze.

Zé Cabelo foi cassado pela Justiça Eleitoral e foi derrotado nas eleição de 2020. (Foto: Arquivo)

O cassado – No retrospecto político do município, o ano de 2002 registrou a cassação do então prefeito José Domingues Ramos, o Zé Cabelo (PSDB). Na ocasião, o chefe do Poder Executivo teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral.

A acusação foi de abuso de poder econômico, caracterizado com a distribuição de cestas básicas durante a campanha. Zé Cabelo voltou a comandar Ribas do Rio Pardo em 2012, quando venceu no voto popular.

Dois anos depois, em abril de 2016, o prefeito era alvo de comissão processante pela Câmara Municipal. A denúncia foi de uso de verbas do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para pagar secretários e até um motorista.

No mesmo ano, o Tribunal de Justiça determinou o fim dos trabalhos da comissão processante contra Zé Cabelo. O então prefeito justificou que o pagamento foi um erro da área de recursos humanos. Em 2020, voltou a ser candidato, mas foi derrotado por Danieze.

Em 2015, o escândalo político foi a farra das diárias, revelada pela Operação Viajantes. Vereadores solicitavam pagamento de diárias, mas sem viajar.

Para viagens dentro de Mato Grosso do Sul, era feito pagamento de R$ 750, já para destinos fora do Estado, a diária era de R$ 1,5 mil. Por conta disso, em nove meses foram gastos cerca de R$ 600 mil pela Câmara somente com diárias.

Dinheiro – A construção da nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo terá cerca de 10 mil trabalhadores no pico da obra e, quando a unidade entrar em operação no segundo semestre de 2024, contará com 3 mil colaboradores nas áreas florestal e industrial. A unidade se tornará a maior planta de celulose em linha única do mundo, com o investimento total de R$ 14,7 bilhões .

Suzano tem investimento de R$ 14,7 bilhões para erguer fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo. (Foto: Arquivo)

 

VEJA OPORTUNIDADE DE EMPRETO PARA RIBAS DO RIO PARDO:

 

 

 

 
 
 
 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961