Português Italian English Spanish

Vereadores ignoram protestos, aprovam reajuste e Tucura terá salário de “prefeito de Capital”

Vereadores ignoram protestos, aprovam reajuste e Tucura terá salário de “prefeito de Capital”


Protesto de moradores foi ignorado por sete dos 11 vereadores de Ribas na noite de ontem

Por Edivaldo Bitencourt/O Jacaré

Quatro anos depois do maior escândalo da cidade, que levou à cassação de oito dos 11 vereadores, a Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo voltou a ignorar a população e aprovou, diante de vaias e protestos, o reajuste de 28% nos salários do prefeito, dos secretários e dos parlamentares. Com a decisão, Paulo Tucura (MDB), que não consegue resolver os mais graves problemas do município, passa a ter salário equivalente ao prefeito da Capital.

Com cartazes improvisados, a população lotou o plenário para protestar contra o reajuste na noite desta terça-feira (23). No entanto, o presidente do legislativo, Paulo Pax (PL), ignorou os eleitores e pautou o projeto. O placar da vergonha se repetiu, com seis votos a favor, quatro contra e uma omissão.

Além do presidente, o reajuste teve o apoio dos vereadores Paulo Pax, Boca de Lata e Lourenço Vidraceiro, do PL; Robertão e Paulo Machado, do MDB; e Luiz do Sindicato (PTB). A vereadora Sônia Passos (PSDB) se omitiu pela segunda vez e não participou da votação, de acordo com o site Riopardonews.

Votaram contra os vereadores Nayara Pereira (PSB), Anderson Arry, Lucy Duarte e Fabiana Galvão, do Patriotas. Esta última faz parte da Mesa Diretora, que propôs o reajuste. No entanto, a vereadora informou, por meio da assessoria de imprensa, que foi contra o aumento. A procuradoria jurídica contestou e garantiu que ela propôs o reajuste parcelado.

Os moradores tentaram ser ouvidos pelos supostos representantes do povo, mas foram solenemente ignorados. Eles levaram cartazes com frases “Reajuste Não!”, “28% NÃO!”, “Queremos emprego, não queremos reajuste!”, “Deveria na verdade, reajustar a vergonha por este ano”, “Quem não fiscaliza, não pode ter aumento”, “Reajuste é imoral par quem nada faz!”, etc.

Com o reajuste fora de hora, o salário do prefeito de Ribas do Rio Pardo passará de R$ 15.563,05 para R$ 19.920.70. Apesar da cidade ter 24,6 mil habitantes, Tucura passará a ter vencimento equivalente ao do prefeito Marquinhos Trad (PSD), que recebe R$ 20.412,42 e administra orçamento 43 vezes maior.

O emedebista terá salário 43% superior ao da prefeita Délia Razuk (PTB), de Dourados, segunda maior cidade do Estado e com mais de 200 mil habitantes.

Além de tudo, Ribas do Rio Pardo não está alheia à crise econômica que assola o Brasil. O prefeito não consegue nem solucionar os buracos nas ruas da cidade, segundo os moradores. Eles ainda reclamam da falta de remédio nos postos de saúde e de médicos no hospital.

O subsídio do vice-prefeito passará de R$ 7.781,52 para R$ 9.960,34, dos secretários de R$ 5.738,52 para R$ 7.370,64 e dos vereadores, os responsáveis pela façanha, de R$ 5.900,00 para R$ 7.552.

O reajuste entra em vigor em 2021. O projeto foi votado com mais de um ano de antecedência porque os parlamentares e o prefeito apostam na famosa lenda de que o brasileiro tem memória curta e todos esquecerão o aumento de 28% nas eleições de 2020.

O povo de Ribas do Rio Pardo terá a oportunidade de colocar o ditado popular a prova: o brasileiro tem memória curta?

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961