Português Italian English Spanish

Tucura quer criar 30 cargos de Assistente Educacional; Professores falam em retrocesso na Educação de Ribas

Tucura quer criar 30 cargos de Assistente Educacional; Professores falam em retrocesso na Educação de Ribas

O prefeito do MDB pretende gastar menos com profissionais que auxiliam os professores da Educação Infantil

Tucura pretende gastar menos com profissionais que auxiliam os professores da Educação Infantil (Foto: Rádio 90FM)

Por Kleber Souza/Rio Pardo News

Com o intuito de convencer os vereadores de que o município precisa de uma 'mini-reforma administrativa', o prefeito de Ribas do Rio Pardo-MS, Paulo Tucura (MDB), esteve reunido na manha desta terça-feira, dia 26, no pequeno plenário da Câmara Municipal de Ribas. O Projeto de Lei Complementar n° 001, de 25 de junho de 2018, de autoria do executivo, prevê a reorganização administrativa do Poder Executivo do Município de Ribas do Rio Pardo – MS.

Ainda na sessão desta noite, Paulo Tucura irá pleitear junto aos vereadores, a alteração da Lei Complementar n° 011/2014 de 16 de setembro de 2014. Esta alteração pretende, entre inúmeras providências, criar o cargo de Assistente Educacional Infantil, bem como, 30 vagas, para atuarem no auxílio aos professores titulares da Educação Infantil no município (Ceinfs). Atividade hoje essa, desenvolvida por pedagogos e afins, ou seja, professores auxiliares e monitores, que possuem graduação.

A polêmica gira em torno da formação acadêmica. Mesmo estando a prática admitida pela LDB e já adotada em vários municípios brasileiros, professores entendem que o projeto representa um retrocesso para a educação do município. E que não há nenhuma comprovação prática de que, houve melhora no aprendizado das crianças após a criação deste cargo, que tira parte da vida escolar do aluno das mãos de especialistas graduados, e transfere a responsabilidade para técnicos com ensino médio e formação "Normal Médio", o antigo Magistério.

Para a vereadora Sônia Passos (PSDB), o projeto de forma geral, apresenta um equilíbrio. A vereadora vê com bons olhos a criação do cargo de Assistente Educacional Infantil (Assistente do Professor). "Pela função, o auxiliar do professor na educação infantil, é aquele que dá a mamadeira, limpa, dá banho. Ele não vai ministrar aula. É o antigo cargo de pajem", explica. O referido cargo vai exigir qualificação: Normal Médio ou Magistério.

Entretanto, professores graduados, entendem que uma educação de qualidade passa por profissionais qualificados, e prometem lotar o plenário da Câmara na noite de hoje (26) para pedir que os vereadores não aprovem o projeto do prefeito.

Caso aprovada, a manobra de Tucura deverá causar significativo impacto financeiro positivo aos cofres da Prefeitura. Em média, o salário destinado aos Assistentes Educacionais, será quase 50% menor, do que o pago aos professores. "Na Educação Infantil, o estatuto fala em dois professores em sala, mas a Prefeitura não cumpre. Há anos não se vê investimentos na Educação do município. As crianças nunca recebem material e uniforme como deveriam. Onde está indo o dinheiro da nossa Educação?", questiona uma mãe riopardense que apoia a causa dos professores.

Os vereadores analisarão os pedidos do prefeito, na sessão ordinária desta terça-feira, dia 26, às 19 horas, quando acontece a última sessão antes do recesso de julho/2018. 

Os vereadores analisarão os pedidos do prefeito, na sessão ordinária desta terça-feira, dia 26, às 19 horas, quando acontece a última sessão antes do recesso de julho/2018. 

 riopardonews@gmail.com
 (67) 98454-6626
 facebook.com/RioPardoNews