Português Italian English Spanish

Terror na Casa das Trevas: vereadores condenam servidores no ‘Caso Lourenço’

Terror na Casa das Trevas: vereadores condenam servidores no ‘Caso Lourenço’

Lourenço conseguiu defensores mesmo reconhecendo, na reunião, que “isso acabou com ele”.

Por Kleber Souza do Rio Pardo News

Ao contrário de julgar e condenar, através de processo administrativo, o vereador que postou em grupo oficial de WhatsApp da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo (MS), vídeo pornográfico zombando da tragédia de Brumadinho (MG), os demais vereadores implantaram clima de terror para descobrir como a postagem ‘vazou’ e chegou a público de todo Mato Grosso do Sul, através da cobertura jornalística feita pela imprensa estadual.

Liderados pelos vereadores Paulo Sézio Machado (MDB), o veterano Paulinho; e pela novata Fabiana Galvão (Patri), a Mesa Diretora avalizou a realização de reunião geral a portas fechadas, na manhã do último dia 31, com todos os servidores, e "o pau comeu".

Os relatos são de servidores e vereadores que, obviamente, não quiseram se identificar temendo serem "exorcizados" pelos coronéis incapazes de enxergar os novos tempos da política com as mídias sociais.

"Eles gritavam ameaçando os servidores e defendendo o vereador Lourenço, que fez a postagem indecente zombando do sofrimento da população atingida pela onda de lama da barragem da empresa Vale do Rio Doce que estourou. Nos sentimos desmoralizados", denunciam os servidores.

Vereador Paulinho Machado do MDB (Foto: Assessoria)

Paulinho foi o mais agressivo porque disse que "isto não se faz", ao se referir ao fato de terem exposto o vereador autor da postagem. No vídeo, aparece uma mulher nua defecando após relação sexual anal com a seguinte frase: "Exato momento do rompimento da barragem".

Paulinho Machado teria até sugerido que o Jurídico da Câmara acionasse a Polícia para fazer um Boletim de Ocorrência para descobrir quem foi “o(a) safado(a) que fez isso”. No caso, tornado público a descabida postagem do vereador.

A vereadora Fabiana Galvão também se expressou nervosa ao proteger o vereador Lourenço, mesmo com seus eleitores lembrando que "ela, como mulher, deveria até mesmo condenar a exposição da vulgaridade feminina no vídeo e não defender quem o passa pra frente".

UM PESO, DUAS MEDIDAS!

Galvão teria dito que quem fez isso, tornado público a repugnante postagem do vereador, estaria “cuspindo no prato que está comendo”. Agindo assim, a vereadora Fabiana Galvão, demonstra que esqueceu de quando sua assessora cometeu um deslize, satirizando a entrada de policiais no plenário.

A brincadeira de mau gosto da assessora de Fabiana Galvão, foi penalizada com exoneração da mesma. Atendendo pedido de alguns vereadores, entre eles, o mais ‘puto’ com a situação, o vereador Lourenço. Mesmo assim, Lourenço foi defendido “com unas e dentes”.

Fabiana Galvão não poupou esforços em defesa de Lourenço.
Lourenço da Vidraçaria (PR) postou vídeo pornográfico zombando da tragédia de Brumadinho (MG) (Foto: Assessoria) 

VEREADOR ABALADO!

Lourenço conseguiu defensores mesmo reconhecendo, na reunião, que “isso acabou com ele”. Revoltado, Lourenço teria ainda dito que, “não quer mais saber de política” e que não irá dispor de advogado para defesa, caso ocorra denúncia por quebra de decoro.

Outra providência tomada na reunião foi o fim do Grupo Oficial da Câmara de Vereadores de Ribas do Rio Pardo, que era intitulado CMRRP2018. Agora, o novo grupo oficial de WhatsApp do legislativo municipal é formado apenas pelos 11 vereadores.

Via assessoria, a Câmara confirmou a realização da ‘reunião fechada’, mas oficialmente não confirmou nada do que foi tratado, e informou que sobre o ‘Caso Lourenço’, ele (Lourenço) não vai se manifestar.  

Paulo da Pax (PR) teria prometido agir dentro da lei, caso a atitude do vereador Lourenço seja denunciada. (Foto: Assessoria)

PUNIÇÃO EXEMPLAR PARA A FALTA DE DECORO?

De positivo, desta reunião, para a população riopardense teria sido o posicionamento firme do vereador-presidente, Paulo da Pax (PR), no tocante ‘punição exemplar’. Segundo informações obtidas com exclusividade pelo Rio Pardo News, o presidente afirmou que não haverá corporativismo em defesa do vereador Lourenço, ou até mesmo da vereadora Sônia Passos (PSDB).

Ao mesmo tempo em que permitiu a constrangedora reunião, Paulo da Pax (PR) teria declarado que ‘cada um arcará com as consequências’. Sendo assim, havendo a denúncia por quebra de decoro parlamentar, o processo será recebido e passará pelos trâmites legais da Casa de Leis.

 riopardonews@gmail.com
 (67) 98454-6626
 facebook.com/RioPardoNews