Português Italian English Spanish

Pela segunda vez suplente pede punição à vereadora presa na eleição

Pela segunda vez suplente pede punição à vereadora presa na eleição

Só haverá decisão exemplar se a população ir às ruas e fazer manifestações para cobrar o que é certo a ser feito.

Ao ser presa, a vereadora do PSDB envergonhou o partido do governador Reinaldo Azambuja. 

Por Kleber Souza do Rio Pardo News

O vereador suplente Antonio Sérgio Cassin, de Ribas do Rio Pardo (MS), apresentou no último dia 17, novo requerimento à Mesa Diretora da Câmara Municipal do município, com a solicitação de abertura de inquérito administrativo para apurar e punir a vereadora Sônia Passos, do PSDB, partido do governador do Estado.

A vereadora foi presa em flagrante no dia 28 de outubro do ano passado, após pedir o transporte ilegal de eleitores para a votação durante o segundo turno das eleições. Ela gravou dois áudios e distribuiu pelo WhatsApp. Em um deles, pediu para o ex-prefeito Zé Cabelo, seu primo, compadre e padrinho politico, cometer o crime. Ele cometeu e também foi preso em flagrante. 

Por tudo isso e, obviamente que interessado em assumir o mandato, o vereador suplente, popularmente conhecido como Ventania, cobra uma providência exemplar dos vereadores riopardenses. Ele aposta na nova composição da Mesa Diretora para conseguir seu objetivo. 

Quando apresentou requerimento semelhante no ano passado, a Assessoria Jurídica da Câmara Municipal alegou erro de origem e nenhuma providência foi tomada. O erro de Cassin, foi ter apresentado o requerimento em nome do seu partido, o PSD.

Ventania quer voltar a ocupar uma cadeira no Legislativo Municipal (Reprodução) 

Naquela ocasial, a Câmara de maneira informal, alegou que o PSD não tem nenhum vereador na Casa e, portanto, não poderia apresentar requerimento. Os vereadores Robertão (MDB) e Lourenço (PR), chegaram a satirizar o requerimento de Ventania, dizendo que ele queria ganhar uma cadeira na Câmara "no tapetão".   

Agora, lamentavelmente, Cassin poderá naufragar por causa de outro detalhe: ele assinou o requerimento e escreveu que a vereadora Sônia foi presa fazendo transporte ilegal de "passageiros", quando na verdade ela pediu, foi mentora intelectual, incentivadora do crime de transporte ilegal de "eleitores" e não de passageiros. 

O crime de transporte ilegal de passageiros é a chamada lotação, praticada por motoristas não credenciados junto ao Governo do Estado para fazer o transporte de viajantes entre cidades. Nada tem a ver com crime eleitoral. 

Outros fatores relevantes para a decisão negativa da Câmara Municipal, são: 1- É o fato da vereadora que foi presa, ter ido contra seu próprio grupo político e ter votado a favor da atual Mesa Diretora, formada por aliados do prefeito Paulo Tucura. 2 - Sônia foi presa articulando transporte de eleitores em favor da reeleição do governador tucano, Reinaldo Azambuja. Em Ribas do Rio Pardo, a infidelidade partidária correu solta, e 10 dos 11 vereadores, apoiaram Azambuja.

Mais uma vez, só haverá decisão exemplar se a população ir às ruas e fazer manifestações para cobrar o que é certo a ser feito, ou seja, pelo menos investigar se a prisão da vereadora representa quebra de decoro parlamentar suficiente para ela perder o cargo, como aconteceu, recentemente, em Dourados com a vereadora Denise.

O novo pedido de providências foi protocolizado no último dia 17, na Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo (MS).
 riopardonews@gmail.com
 (67) 98454-6626
 facebook.com/RioPardoNews