Português Italian English Spanish

Paulo Tucura demite pai e filho de vereadora após ser questionado sobre veto

Paulo Tucura demite pai e filho de vereadora após ser questionado sobre veto


A vereadora colocou em dúvida a postura do prefeito e fez questionamentos ácidos.

Em maio, Serginho, ao lado de Tucura, recebeu as chaves da nova casa das mãos do governador.

O pai da vereadora Nayara Pereira (PSB), Antônio Sérgio Pereira, foi demitido pelo prefeito Paulo Tucura (MDB). A exoneração foi publica nesta quinta-feira, dia 11, no diário oficial dos municípios. Exatamente dois dias após a vereadora criticar e questionar Tucura pelo veto ao projeto que daria gratuidade de IPTU a pessoas com câncer.

Antônio Sérgio Pereira, também conhecido como Serginho, exercia a função de Assessor II, DAS-350, a atuava como zelador da praça e do campo suíço da Cohab Velha, e recebia remuneração de aproximadamente R$ 2.000,00.

O filho da vereadora também foi demitido. Matheus Pereira de 20 anos, é acadêmico de Engenharia Civil e tinha vínculo empregatício com a Prefeitura através do programa de estagiários do IEL. Ele foi contratado após ser aprovado em processo seletivo. Verbalmente Matheus teria sido comunicado da demissão, esta semana, pelo chefe da Divisão de Engenharia e Projetos da Secretaria de Obras do Município.

Na terça-feira, dia 9, a vereadora tentou, sem sucesso, defender a derrubada do veto. Durante seu discurso na tribuna, a vereadora colocou em dúvida a postura do prefeito e fez questionamentos ácidos.  

“Fato que me causou estranheza... teria o veto sido engavetado pelo poder executivo, uma vez que a data, 17, e que a câmara recebeu em 26. Teria ocorrido ‘falta de tempo’ do executivo em assinar e encaminhá-lo, ou a distância entre o Paço Municipal e a Câmara é muito extensa, para que ocorra o intervalo de 11 dias entre as datas? Ou, teria sido, propositalmente (risos) em função de pareceres contrários ao interesse do executivo? Fica a dúvida!”, questionou Nayara.

Possivelmente um dos pareceres contrários, que a vereadora refere, é a não liberação à toque de caixa, de 10,4 milhões em 25 de setembro. Naquela ocasião, o pedido de Urgência Especial do prefeito foi devidamente encaminhamento para as comissões.

Em contato com a reportagem do Rio Pardo News, a vereadora Nayara Pereira preferiu não se manifestar. A Assessoria de Comunicação da Prefeitura disse que a demissão "é uma prerrogativa institucional do prefeito". Até o fechamento desta matéria, o secretário Jonas Moreira, responsável pela Sejel, secretaria onde Serginho era lotado, não respondeu nossas mensagens.

Assista ao discurso da vereadora na sessão ordinária de terça (9):

Por Kleber Souza/Rio Pardo News

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961