Português Italian English Spanish

Dinheiro sobrando: devolução da Câmara para Prefeitura comprova que duodécimo é elevado

Dinheiro sobrando: devolução da Câmara para Prefeitura comprova que duodécimo é elevado

A Câmara de Ribas do Rio Pardo recebe muito dinheiro para ser mantida.

Por Kleber Souza

Não é a primeira vez que os vereadores de Ribas do Rio Pardo, município localizado na região centro-leste de Mato Grosso do Sul, alardeiam para os “quatro cantos” a notícia da devolução de parto do duodécimo não utilizada nos gastos de manutenção e pagamento de pessoal.

Este ano, a devolução foi de R$ 1,6 milhão. O duodécimo (dinheiro legalmente repassado pela Prefeitura, já que a Câmara não é poder arrecadador), corresponde a 7% do total arrecadado pelo município.

Ao olhar para o pequeno prédio e analisar o fato dos vereadores se reunirem apenas uma vez por semana, a população chega, facilmente, a conclusão de que a Câmara recebe muito dinheiro para ser mantida.

Para se ter ideia, neste ano de 2018, o duodécimo em Ribas do Rio Pardo foi de quase R$ 7 milhões. A devolução de R$ 1,6 milhão, é a comprovação de que os vereadores não precisam de todo esse dinheiro, oriundo do suor do contribuinte riopardense. O ato se repete há décadas no município. 

Embora constitucional, o percentual é alto e precisa ser melhor gerido ou reduzido de alguma forma eficiente para que possa beneficiar a população. Entretanto, vereadores e o prefeito demonstram despreocupação e desinteresse em debater o caso, para tentar ‘fechar a torneira’ e acabar com sensação ‘nadando no dinheiro’, vivida pela Câmara de Ribas.

O prefeito Paulo Tucura (MDB), se quer fez questão de estar presente no ato midiático da devolução, em que duas folhas de cheques foram assinadas e fotografadas como se estivesse ocorrendo ali, mais uma grande ação governamental dos representantes do povo, o que não é verdade.

Fotos: Assessoria Câmara

 riopardonews@gmail.com
 (67) 98454-6626
 facebook.com/RioPardoNews