Português Italian English Spanish

Atletismo: aluno da Escola EBA é campeão brasileiro no revezamento 4x75 metros

Atletismo: aluno da Escola EBA é campeão brasileiro no revezamento 4x75 metros


JEJ Blumenau: Atletismo de MS fica com o ouro em prova de revezamento

Mato Grosso do Sul foi campeão na prova de revezamento masculino 4x75 metros, na faixa etária de 12 a 14 anos, nesta segunda-feira (25.11), na etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), em Blumenau-SC. As disputas do Bloco 2, entre elas o atletismo, tiveram início no dia 21 de novembro. Os atletas sul-mato-grossenses nos JEJ têm o apoio do Governo do Estado, por meio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte).

Gabriel Antônio Marques, da Escola Estadual (EE) Ade Marques, de Ponta Porã; Rodivaldo Sales, da EE Eduardo Batista Amorim, de Ribas do Rio Pardo; Marlon Mendes e Yuri Benites. ambos da Escola Municipal Guarani Kaiowá, de Amambai, foram os responsáveis pela medalha de ouro. 

Na final, os quatro sul-mato-grossense fizeram a marca de 34s200, enquanto o quarteto catarinense, em segundo, fez 34s270. A terceira colocação ficou com o Espírito Santo, com 34s470. 

De acordo com o técnico Álvaro Barbiero, que acompanhou os atletas de Mato Grosso do Sul, os meninos, por serem de cidades diferentes, nunca treinaram revezamento juntos. Ele afirma que esta é uma prova que exige treinamento e entrosamento. No domingo (24.11), eles correram a fase de classificação. “Os meninos são muito rápidos, só que a passagem do bastão de um para o outro foi muito ruim, porque eles até então não tinham treinado, não tivemos tempo para treinar. Mesmo assim, eles se classificaram à final com o quarto melhor tempo”.

Já na segunda-feira (25.11), dia da decisão, Barbiero resolveu chegar ao local da prova com quatro horas de antecedência para treinar a passagem do bastão, principal deficiência do quarteto na visão do treinador. “Treinamos várias vezes. Eles iam, voltavam e fui corrigindo e a troca e passagem dos bastões, até ficar bom. Eu disse a eles que uma medalha teríamos condições de conquistar, se as passagens fossem legais. E foram. Eles correram super bem e fomos campeões”.

Apesar de corrigir o fundamento técnico, Barbiero revela não ter acreditado na possibilidade de faturar a medalha dourada. “Sinceramente, não tinha essa certeza do ouro, imaginava um bronze. O tempo que eles tinham feito era bom e eu sabia que as outras equipes já tinham a passagem do bastão boa. A única que tinha a passagem muito ruim era a nossa. Então, teoricamente, só nós poderíamos melhorar bastante nosso tempo. Os meninos têm muito talento, passamos a manhã toda trabalhando a passagem, eles compraram a ideia, acreditaram e daí veio a conquista, bem emocionante a todos”.

Apesar de o atletismo ser uma modalidade individual, essa é uma conquista coletiva, por envolver quatro atletas. Para o técnico, o primeiro lugar exalta o nome de Mato Grosso do Sul e de seu povo. “É uma prova que representa o povo do nosso Estado, povo que tem garra, porque esses meninos são muito humildes. Na hora que falei que dava para ganhar a prova, os olhos deles brilharam, eles tiveram muita força de vontade, muita garra e acreditaram, assim como é nosso povo sul-mato-grossense”.

Revolução no desporto sul-mato-grossense

Barbiero salienta que desde 2015 o desporto de Mato Grosso do Sul desenvolveu-se de modo acelerado, com vistas ao descobrimentos de atletas e, consequentemente, alto rendimento. Tudo isso graças, segundo o técnico, ao Programa Escolar de Formação e Desenvolvimento Esportivo da Fundesporte. “Com essa administração do Reinaldo Azambuja e a equipe da Fundesporte, assim que começaram esse trabalho, o esporte do Estado se desenvolveu muito. Na verdade, estava muito fraco. Para os Jogos, formavam-se poucas equipes, poucos atletas. Depois, a Fundesporte lançou o projeto nas escolas estaduais, em que os professores realizam treinamentos e levam os alunos-atletas para competições”.

“Passamos a ficar em bons hotéis, com refeição excelente e vemos que a cada ano temos mais atletas, o que melhora o nível. Então, acho que o papel da Fundesporte está sendo muito bom”, finaliza Barbiero. 

Lucas Castro - Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte)

Fotos: Gaspar Nóbrega/Inovafoto/COB

Publicado por: ppaiva@fundesporte.ms

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961