Português Italian English Spanish

Três Lagoas é sede da primeira edição do projeto “O Tribunal que é da nossa Conta”

Três Lagoas é sede da primeira edição do projeto “O Tribunal que é da nossa Conta”

Evento reuniu autoridades e cerca de 40 funcionários do Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul sendo considerado pelos realizadores um sucesso

Por Ray Santos/Jornal Dia a Dia

Três Lagoas recebeu nesta sexta-feira (26), no auditório do Serviço Social da Indústria – Sesi, a primeira edição do projeto “O Tribunal que é da nossa Conta”. Cerca de 40 funcionários do Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul (TCE-MS) assistiram às Oficinas e Palestras com temas voltados às Alterações do Regimento Interno e da Resolução nº 88; Formação de Preços e Licitação; Fiscalização de Contratos; Auditorias em Educação, entre outros.

O evento foi criado pelo próprio TCE-MS, por meio da Escola Superior de Controle Externo, com o objetivo de informar e orientar os jurisdicionados sobre atividades, processos e procedimentos adotados pela Corte de Contas.

AUTORIDADES PRESENTES

Compuseram a mesa de autoridades o conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, Iran Coelho das Neves; conselheiro e vice-presidente do TCMS Flávio Esgaib Kayatt; conselheiro e diretor geral da Escola Superior de Controle Externo do TCMS, Waldir Neves Barbosa; conselheiro do TCMS Márcio Campos Monteiro; auditor substituto de conselheiro do TCMS, Leandro Lobo Ribeiro Pimentel; o procurador geral do Ministério Público de Contas do MS, João Antônio de Oliveira Martins Júnior; o deputado e presidente da Assembleia Legislativa de MS, Paulo Corrêa, representando também o presidente da Federação das Indústrias de MS – FIEMS, Sérgio Marcolino Longen; o prefeito de Três Lagoas, Angelo Chaves Guerreiro; o deputado e vice-presidente da Assembleia Legislativa de MS, Eduardo Rocha, representando a senadora Simone Tebet; e o presidente da Câmara Municipal de Três Lagoas, vereador André Bittencourt.

OBJETIVO

O presidente Iran Coelho declarou aberto oficialmente o encontro “O Tribunal que é da nossa Conta” agradecendo a todos os presentes, em especial, as autoridades compostas na mesa, desejando a todos sucesso e uma excelente participação no evento.

O prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, também cumprimentou todos os presentes desejando boas-vindas e disse ser “uma honra imensa proporcionar este grandioso evento em nossa Cidade. Precisamos ter o Tribunal de Contas próximo a nós gestores e secretários no dia a dia para errarmos menos e ter a oportunidade de aprendermos aqui é uma grande iniciativa”.

Logo em seguida Eduardo Rocha confessou ao presidente Iran em seu discurso que estava pensando qual seria o melhor investimento que um político (prefeito, vereador, presidente de Câmara) poderia fazer em sua gestão.

“Seria asfalto, saúde pública, educação? Acho todo bons, mas o melhor investimento que o prefeito pode fazer se ele quiser ser reconhecido lá na frente como um bom gestor é investir em vocês, nos técnicos que cuidam das finanças, convênios e nossas Prefeituras e Câmaras  andarem dentro da lei. Parabenizo e agradeço a todos que estão aqui para aprender e aprimorar mais seus conhecimentos e aos prefeitos que estão presentes que isso é importante, investir no corpo técnico das nossas gestões”, concluiu.

Segundo o vice-presidente, Flávio Kayatt, “é preciso quebrar um paradigma que o Tribunal está a uma certa distância dos jurisdicionados. O evento é para aproximar o Tribunal dos municípios vendo as aflições dos prefeitos e chefes de departamento para dirimir as dúvidas e dificuldades e fazer com que essa oficina de trabalho seja um marco para outras acontecerem nas demais macro regiões do Estado”, disse.

Flávio complementou ainda que “é preciso fazer com que a cara de bicho papão do Tribunal deixe de acontecer. Nenhum conselheiro gosta de pegar a caneta e aplicar uma multa em um prefeito ou presidente de Câmara. Mas se a gente não fizer isso quando erram a gente estará errando também”, declarou.

Para Flávio, que já foi prefeito e vereador, “o prefeito visa muito à realização do sonho da população. Ele corre atrás de verba, vai a Brasília, vai ao governo de Estado; pede para o deputado, senador e na hora que é para ele fechar com chave de ouro que são as contas garantidas, ele erra nesse quesito, porque tem assessor para educação, saúde, licitação, mas não tem uma pessoa responsável por toda a documentação e controladoria da Prefeitura. Se tivesse alguém na época em que eu era gestor para me falar isso, eu teria tido muito menos problemas que eu tenho até os dias de hoje”, concluiu.

PÚBLICO

O projeto foi direcionado à capacitação de prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de Câmaras Municipais, vereadores, servidores das Câmaras Municipais, servidores municipais, juízes, promotores, conselhos, associações, sindicatos e sociedade civil organizada com o objetivo de contribuir para a melhoria na prestação de contas, proporcionando aos jurisdicionados mais acesso às informações técnicas e garantindo mais qualidade no envio dos processos.

Estiveram presentes no evento os prefeitos de Brasilândia, Chapadão do Sul, Inocência, Paraíso das Águas, Paranaíba, Ribas do Rio Pardo e Santa Rita do Pardo e os presidentes das Câmaras de Cassilândia, Inocência e Selvíria.

 riopardonews@gmail.com
 (67) 98454-6626
 facebook.com/RioPardoNews