Português Italian English Spanish

Moradores denunciam falta de remédios na farmácia municipal

Moradores denunciam falta de remédios na farmácia municipal


É comum moradores procurarem a farmácia do Posto Central e retornarem para casa com as mãos vazias.

Moradores procuram a farmácia e retornam para casa com as mãos vazias.

Não é de hoje que pacientes que precisam de medicamentos fornecidos pela Prefeitura de Ribas do Rio Pardo (MS) encontram dificuldades para obter remédios, desde os mais simples como ibuprofeno, até remédios essenciais para os pacientes portadores de doenças crônicas.

O problema já é uma das marcas negativas da Gestão Tucura. É comum moradores procurarem a farmácia do Posto Central e retornarem para casa com as mãos vazias. A saúde dos moradores está em risco constante.  

É crescente também registro de reclamações nas redes sociais. “Olha já faz quase um mês que eu estou indo atrás de um remédio e tá em falta assim diz eles, tenho até a receita comigo”, conta um morador.

A receita datada de 10 de janeiro, prescreve o uso de medicamento utilizado principalmente para o tratamento da depressão. “Fui na Secretaria de Saúde disseram que já foram comprado, mas até agora nada.

Também retornou sem os remédios receitados, a receita datada de 01 de fevereiro (foto). O paciente de 35 anos, conta que está desempregado e não tem condições de comprar. Ele relata que passa por problemas de saúde e na segunda-feira, dia 3, foi atrás de outro medicamento. “E ontem fui atrás de outro remédio também está em falta”.

Em dezembro de 2019, um pai manifestou sua indignação e preocupação no Facebook. Em tom desesperador, ele escreveu “estou lutando pela saúde e vida de minha filha que precisa do medicamento que tem venda proibida e não consigo este medicamento que última vez que peguei na secretaria de saúde foi em 18 fevereiro de 2019, triste dizer mais saúde de nosso município está acabando”.

Para Fábio, a saúde pública em Ribas do Rio Pardo vem pedindo socorro. “É tanta humilhação e falta de respeito mas lutarei o que for preciso para a vida de minha filha pois é direto dela adquirido por lei a está medicação. Só quem tem um filho, um parente ou até amigo que necessitam do medicamento para viver sabe importância do uso do remédio. Mas creio que Deus está no controle de tudo e de nossas vidas. A saúde de nosso município pede socorro”.

Antes disso, em fevereiro de 2018, o advogado João Alfredo disse que a Defensoria Pública trabalha com dezenas e dezenas de ações por ele ajuizadas, com relação à falta de remédios. “infelizmente, o problema não é do “sistema”. É da incompetência mesmo!”.

A Câmara de Vereadores sempre omissa, finge que fiscaliza. Em fevereiro de 2019, a vereadora Fabiana Galvão (Patri) disse em tribuna que recebe muitas reclamações sobre falta de remédios e cobrou levantamento detalhando.

No discurso populista, a vereadora prometeu “solução plausível”, entretanto, não tocou mais no assunto e segue conivente com a falta de seriedade nas políticas públicas, em benefício dos que mais necessitam, neste caso, os acometidos de doenças.

O OUTRO LADO

Na tarde do último dia 4, a secretária de Saúde, Helenice Falcão, foi comunicada das reclamações pela reportagem do Rio Pardo News, mas não se manifestou.  

Por Kleber Souza/Rio Pardo News em 10 de fevereiro de 2020

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961