Português Italian English Spanish

Gestão Tucura fecha janeiro com rombo de R$ 10 milhões

Gestão Tucura fecha janeiro com rombo de R$ 10 milhões


O orçamento de Janeiro/2020 era de R$ 5.292.047,78, enquanto o arrecadado bateu R$ 6.178.440,83.

Paulo Tucura insiste em não dar conhecimento de seus atos administrativos ao povo.

Dados publicados no Portal da Transparência da Prefeitura de Ribas do Rio Pardo (MS), apontam rombo de R$ 10.678.000,00 (Dez milhões, seiscentos e setenta e oito mil reais). As informações foram atualizadas neste sábado, dia 1º de fevereiro.

Mesmo arrecadando quase um milhão acima do esperado (R$ 886.393,00), a gestão do prefeito Paulo Tucura (DEM) que já está ‘até o pescoço’ na Justiça, caminha para um fim de mandato preocupante, também nas Finanças.

De acordo com o relatório oficial, o orçamento de Janeiro/2020 era de R$ 5.292.047,78, enquanto o arrecadado bateu R$ 6.178.440,83.

Neste período porém, está incluída a Folha de Pagamento de Dezembro/2019 dos servidores. A manobra considerada uma espécie de ‘pedalada’ não é bem vista por especialistas do setor. “Possivelmente o prefeito terá problemas lá na frente pra fechar”, pontua.

Em 2020, último ano de mandato, a Lei de Responsabilidade Fiscal obriga fechamentos trimestrais, ano em que Tucura terá 14 folhas de pagamento, quando o natural seriam 13. O balanço pode ser mascarado.

Outro fator que teoricamente causa o rombo, é o empenho de estimativas para o ano todo. Especialistas explicam que há casos em que acontecem ‘reservas de empenho’ para o ano todo. Mas, se as despesas foram efetivadas, o cenário é grave.

Com excessos de gastos que pouco favorecem a população, a Prefeitura de Ribas segue gastando de maneira pouco responsável o dinheiro do contribuinte. Desde que assumiu, Paulo Tucura já ‘fritou’ quase meio milhão de reais, somente com diárias (R$ 457.887,52).

Só o secretário de Desenvolvimento e ‘queridinho do prefeito’, Diógenes Marques, foi agraciado com R$ 36.379,09 em diárias. Admitido em fevereiro de 2017 e hoje com Remuneração Básica de R$ 5.738,52/mês. O forasteiro já custou aos rio-pardenses, em valores atualizados, R$ 237.227,29 (Duzentos e trinta e sete mil, duzentos e vinte sete reais e vinte nove centavos).

Mas, os números mostram que a Gestão Tucura realiza seus maiores “negócios” com os mais variados tipos de empresas. Desde, combustíveis, alimentos, locação de máquinas, comércio de ferramentas, até loja de conveniência.

Enquanto Paulo Tucura insiste em não dar conhecimento de seus atos administrativos ao povo, e impede o controle social, não há registros fiscalização séria por parte da Câmara de Vereadores na condução destas despesas milionárias. A maioria dos vereadores preferem fazer ‘vistas grossas’, e irem além, prevaricando e blindando o prefeito.

Por Kleber Souza/Rio Pardo News em 3 de fevereiro de 2020

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961