Português Italian English Spanish

Assessor do prefeito tenta “tomar” diretório e virar vereador em Ribas

Assessor do prefeito tenta “tomar” diretório e virar vereador em Ribas


Paulo da Pax e Boca de Lata assinam documento como testemunhas da manobra suja e rasteira.

Depois de viajar até Brasília-DF e se filiar em 30 de setembro pela ‘porta do fundo’ no Democratas de Ribas do Rio Pardo, o prefeito Paulo Tucura, através do seu Assessor I, José dos Santos Araújo, deu mais um passo em busca de se tornar ‘dono’ do partido que acabou de entrar.

Possivelmente agindo por interesse próprio e a mando do prefeito, o ex-vereador eleito 1º suplente em 2016, José dos Santos Araújo, popular Zé da Horta, protocolizou no último dia 27, no Diretório Estadual do Partido, pedido de dissolução contra o Diretório Municipal do Democratas em Ribas do Rio Pardo.

Hoje, ocupando o cargo de Assessor I na Prefeitura de Ribas, Zé da Horta recebe mensalmente R$ 3.230,89. Caso tenha sucesso na dissolução do DEM/Ribas, rumores dão conta de que Zé da Horta assumiria a vaga de vereador na Câmara de Ribas, como “prêmio” pelo trabalho.

Em outubro de 2019, noticiamos que a filiação de Paulo Tucura no DEM era vista como um golpe rasteiro muito bem articulado por  políticos altamente profissionais e descompromissados com lideranças do município.

Naquela ocasião, um ex-eleitor de Tucura disse que o prefeito foi foi maldoso e matou dois coelhos com uma cajadada só. “Virou político profissional, que trocou virtudes por vícios maléficos de pessoas cegas pelo poder, que ‘tratoram’ quem estiver presente em seu caminho".

“Agindo a mando de Tucura, ele (Zé da Horta) traiu os companheiros por 7 meses de mandatos”, afirma um filiado do DEM/Ribas.

Dois vereadores fiéis escudeiros do prefeito, assinam o documento como testemunhas da manobra suja e rasteira: Paulo da Pax e Boca de Lata.

A ação, típica da política antiga e retrógrada, praticada pelos coronéis que querem perpetuarem no poder, é baseada em inúmeras afirmações mentirosas, chegando ao cúmulo de dizer que “o prefeito vem apresentando uma gestão muito satisfatória”.

Pesquisa recente (Dezembro 2019) aponta que a Gestão Tucura é desaprovada por 83.67% dos rio-pardenses.

E QUAL O MOTIVO? AMNÉSIA? JOÃO SEM-BRAÇO?

No pedido de dissolução do partido, Zé da Horta, alega também que o Democratas de Ribas teria cometido infidelidade partidária nas eleições de 2018. Mesmo sabendo que o novo diretório do DEM/Ribas foi definido sem nenhuma contestação e com aval do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em abril de 2019, ou seja, após as eleições.

A memória fraca do Assessor I de Tucura chega ser hilária, ao falar em fidelidade partidária, já que nas eleições de 2018, Zé da Horta se mostra vítima de amnésia, pois foi um dos membros do DEM que ‘traiu’ o partido, ao abraçar com unhas e dentes a candidatura do pedetista Jamilson Name (foto ao lado). 

Destituir partidos sem o mínimo respeito, é considerado normal entre os que querem se perpetuarem no poder a todo custo. Caso consiga o comando do Democratas, Tucura teria ‘mais forças’ para disputar as eleições de outubro. Com o respaldo da Ministra Tereza Cristina, a campanha do grupo teria sacos e mais sacos de “recursos” para investir na busca de aliados e eleitores.

QUEDA-DE-BRAÇO À VISTA!

Procurado pela reportagem, o presidente do Democratas em Ribas do Rio Pardo, Paulo Rogério Bernardes, disse que o assessor do prefeito age com deslealdade. “Tucura quer o comando do DEM por uma questão de ‘poder pelo poder’. Caso haja a destituição, entraremos na justiça comum, pedindo medida cautelar”.

Por Kleber Souza/Rio Pardo News em 01 de fevereiro de 2020

 riopardonews@gmail.com
 (67) 99107-6961
 facebook.com/RioPardoNews
 (67) 99107-6961